domingo, 28 de novembro de 2010

Ela fez do meu coração um brinquedo
Não se importando
Ela varre todos os meus sentimentos
Me desvendando
E o chão as vezes parece mover-se
Somos nós deitados
Olhando o que isso nos causa
Toda essa fúria
Ela me vicia com o jeito de sorrir
Escrevendo com os lábios
E essa imagem embaça meus olhos
Consigo sentir
Todo seu ar quente em meu peito
Seu ninho
Com seu cabelo comprido
Vem meu alívio

Sou seu brinquedo.