quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Na beira do rio
Não me prendo em borboletas
Não me poetizo
Não me calço de palavras
Palavras não me engarrafam
Poetizo o guardável
Poetizo o que me cabe
O que não me cabe voam borboletas.

Nenhum comentário: